terça-feira, 16 de maio de 2017

Sinner - “Tequila Suicide” (2017)

AFM Records

Mundo Metal [ Lançamento ]



Existem músicos que conseguem demonstrar através de sua música, o quanto estão envelhecendo com dignidade, sem perder o pique e mantendo a mesma energia intacta e o bom senso de composição, é exatamente o que vemos acontecer com Mat Sinner. 

Lançado no final de março, mais precisamente no dia 31, seu mais recente trabalho de inéditas à frente do Sinner, “Tequila Suicide”, vem em meio a um turbilhão de obras de sua autoria. Mat esteve recentemente envolvido com os lançamentos de “Wiskey Fingers” do Voodoo Circle e “Rulebreaker” do Primal Fear, todos em um curto período de tempo e que vieram não apenas para agregar, mas também deixar claro que o “patrão” gosta de mostrar serviço.


Em mais uma parceria com o gigante selo AFM e contando com o auxílio de Denis Ward (Pink Cream 69, Unisonic) na produção, Mat desta vez trouxe algumas novidades, ou seja, um novo line up para a banda, com Francesco Jovino (atualmente no Primal Fear) sendo o encarregado das baquetas, a afiada dupla de guitarristas que conta Alex Scholpp e o genial Tom Naumann, este segundo voltando a trabalhar com Mat depois de muitos anos, além das participações especiais dos ilustres Gus G (Firewind, Ozzy Osbourne), Rick Warwick (Thin lizzy, The Almight), Magnus Karlsson (Primal Fear) e Pete Lincoln (Sweet, Sailor). 

Musicalmente, “Tequila Suicide” traz aquela fórmula manjada (mas funcional) que já vinha sendo usada nos álbuns do grupo desde “Mask Of Sanity” (2007), ou seja, a tradicional mescla de Hard Rock e Heavy Metal com a inegável referência ao gigante Thin Lizzy (influência que ficou mais acentuada nos últimos anos). Nos primeiros momentos nota-se alguns traços “novos” na estrutura de algumas composições e algumas chegam a fugir desse molde tradicional adotado. Um exemplo é a faixa de abertura “Go Down Fighting”, que é um rock básico acelerado, direto, festeiro, e numa primeira impressão parece uma música bobinha, no entanto, é um convite a bebedeira desenfreada. Outra que poderia ser mencionada é a faixa título, regida por guitarras gêmeas, possuidora de uma desenvoltura bem contagiante e um refrão mais uma vez em clima de festa, mostrando a mesma pegada da anterior e evidenciando que a volta de Naumann foi absolutamente acertada.


“Road to Hell” nos primeiros acordes, dá a impressão de que mais uma vez tentariam regravar a clássica “Knife In My Heart”, presente no fabuloso “Dangerous Charm” (1987) e regravada no excelente “Respect” (1993), porém logo a influência dos mestres irlandeses do Thin Lizzy dá as caras novamente. O lado mais Heavy que não poderia ficar de fora entra em cena nas faixas “Dragons” e “Loud & Clear”, ambas bem na cola dos trabalhos oitentistas de Mat, ou até mesmo do Primal Fear. “Battle Hill”, uma das faixas escolhidas para a divulgação desse trabalho, é sem dúvidas uma das mais chamativas, com um clima bem folk aliado a um hard meloso (no bom sentido), que remete de imediato ao que o saudoso Gary Moore fez em “Wild Frontier” (1987). 

Para acalmar os ânimos, a balada “Sinner Blues” é carregada de emoção e extremo bom gosto, traz à tona uma veia setentista e como apoio, a presença de alguns vocais femininos de fundo dando um charme todo especial ao som. Ainda temos as típicas “Why”, (com um solo fantástico cortesia de Gus G), “Gypsy Rebels” e “Dying On A Broken Heart”, fechando este trabalho com extrema classe.


Mais uma vez, Mat acertou em cheio nas composições, na produção e nos músicos escolhidos. Com um lema simples e direto: “Vamos fazer o que sabemos e nos divertir fazendo”, “Tequila Suicide” consegue atingir o seu objetivo e é um excelente álbum. Não dá pra negar que a fórmula adotada tem dado certo, porém é impossível não sentir falta da pegada mais “Heavy/Power” de álbuns como “Nature Of Evil” ou “There Will Be Execution”, pegada essa que só vem sendo explorada com propriedade nos álbuns do Primal Fear


Nota: 8,0


Formação: 

Mat Sinner (Vocal e baixo)
Tom Naumann (Guitarra)
Alex Scholpp (Guitarra)
Francesco Jovino (Bateria)

Faixas:

1. Go Down Fighting
2. Tequila Suicide
3. Road To Hell
4. Dragons
5. Battle Hill
6. Sinner Blues
7. Why
8. Gypsy Rebels
9. Loud & Clear
10. Dying On A Broken Heart


Redigido por Elton Justo