terça-feira, 16 de maio de 2017

Comaniac - "Instruction For Destruction" (2017)

Saol Records

Mundo Metal [ Lançamento ]



E lá se foram quase dois anos desde que o debut "Return To The Wastelands" me surpreendeu com um Thrash Metal intenso, visceral, técnico e acima de tudo, muito criativo e inspirado. Fiquei espantado logo nas primeiras audições e o Comaniac me parecia ser um daqueles nomes predestinados a figurar entre as grandes revelações do estilo. Para que isso se confirmasse, bastava apenas que a banda mantivesse o nível do disco de estréia em seu próximo trabalho. 

Para quem ainda não conhece, o grupo foi formado em 2010 na cidade de Aargau (Suiça), e antes do registro de estréia lançaram duas Demo Tapes ("Cowshed Demo" e "Demo"). Estes lançamentos foram capazes de chamar a atenção de nomes como Coroner, Kreator e Exodus, que chamaram a recém formada banda para excursionar e abrir alguns de seus shows na Europa. 

Alguns anos se passaram e eis que o novo disco foi lançado no último dia 7 de abril. O que podemos comprovar não é nada mais do que o esperado, o quarteto suiço começa aqui a se consolidar realmente e "Instruction For Destruction" não apenas mantém a boa impressão do registro anterior, como eleva a musica da banda e os coloca em um patamar diferenciado. A segunda empreitada dos caras é uma viagem que nos leva a conhecer todas as influências do grupo e demonstra uma evolução evidente em relação a musicalidade antes apresentada.

Duas mudanças importantes aconteceram no line up da banda e talvez isso tenha contribuído para que a musicalidade apresente novas nuances. O guitarrista Dominic Blum deu lugar ao novato Valentin Mössinger e além dele, o baterista Cédric Iseli foi substituído pelo surpreendente Stefan Häberli. Os riffs poderosos continuam presentes e em abundância, os solos e linhas são extremamente bem encaixados e a parte rítmica ainda destaca a performance do excelente baixista Raymond Weibel.


Se atestamos a existência de novos elementos e direcionamentos, é claro que também está presente aquela pegada seca e cortante já conhecida e responsável pelas inúmeras críticas positivas ao trabalho de estréia. Quase tudo isso é cortesia do vocalista e guitarrista Jonas Schmid, que além de ser um ótimo compositor e letrista, toca muito e tem um estilo vocal único, não tentando soar como Mille, Schmier, Zetro ou qualquer outro influente. Jonas grita e berra, mas faz isso da sua maneira, o que torna as músicas da banda ainda mais únicas e interessantes.

Só pra você se situar. Hoje em dia apareceram tantas bandas de Thrash Metal executando o que chamamos de Thrash old school, que para conseguir se destacar é mais do que necessário exibir qualidades extras e possuir acima de tudo, identidade e atitude. Esses caras são realmente diferentes, pois conseguem fazer uma amálgama muito convincente onde clichês, referências e músicas bem variadas, formem um disco que soa complexo ao mesmo tempo em que é simples e despojado. Essa mistura de elementos faz com que a audição se torne prazerosa, você termina de ouvir e quer imediatamente dar play novamente. Conseguir que um registro que prima pela técnica seja também de fácil assimilação é uma arte que poucos grupos conseguem executar com tamanha precisão, o Comaniac não somente tem sucesso como parece dominar essa habilidade. 

"Instruction For Destruction" é composto por 10 composições e pouco mais de 47 minutos de duração, sendo "Shattered" uma introdução. Apesar de todas as músicas cumprirem muito bem o seu papel, gostaria de mencionar "Suborned", a faixa título "Instruction For Destruction" e "Self Control". Essas três composições são capazes de resumir de uma forma bem didática a proposta da banda. 

Em "Suborned" e na faixa título temos dois momentos opostos, enquanto "Suborned" é uma música direta e agressiva que não chega a bater na casa dos 3 minutos de duração, a faixa título é uma música épica que beira os 7 minutos, é aquele tipo de som pomposo e com um refrão grandioso de fácil assimilação. "Self Control" é caracterizada por não ser uma faixa linear, a parte instrumental se destaca com passagens realmente empolgantes e as mudanças rítmicas acontecem a todo instante. É claro que existem outros destaques, como nas não menos excepcionais "Coal", "Bow Low" e "Heart Of Stone", cada uma delas com suas particularidades e minuciosamente acrescentadas ao tracklist do disco para nos brindar com Thrash Metal de alta qualidade.


Em suma, o segundo registro de estúdio do Comaniac não decepciona e mostra uma banda que busca evoluir e olhar para novos horizontes. Apesar de executar um Thrash Metal à moda antiga, acrescentam uma abordagem atual que faz com que sua música não soe datada. Pode ser que ainda não sejam capazes de se equiparar a alguns nomes de maior relevância pertencentes a esta nova safra, mas estão chegando lá. Acrescento que é um dos grupos novos que mais me agrada e acredito demais no potencial dos caras. Recomendo!


Nota: 8,7


Formação:

Jonas Schmid (vocal e guitarra)
Valentin Mösslinger (guitarra)
Raymond Weibel (baixo)
Stefan Häberli (bateria)

Faixas:

01. Coal
02. Suborned
03. Bow Low
04. Guarding Ruins
05. How To End It All
06. Self Control
07. Shattered
08. Heart Of Stone
09. Forever More
10. Instruction For Destruction


Redigido por Fabio Reis