segunda-feira, 17 de abril de 2017

Anthrax - “Among The Living” (1987)

Mundo Metal [ Discos Trintões ]



Depois de um tempo parada, a série “Discos Trintões” está de volta, dessa vez com os discos que completam trinta anos em 2017, e para recomeçar com tudo, nada melhor que um dos melhores trabalhos lançados por uma banda do “Big four”. Senhoras e senhores, hoje falaremos de “Among The Living” do Anthrax.

No fim de 1986, o Anthrax entrava em estúdio para gravar seu terceiro registro de inéditas e buscava repetir o sucesso de “Spreading The Disease” (1985) bem como a afirmação definitiva dos novos integrantes, Joey Belladonna e Frank Bello.

Para a produção, a banda recrutou o renomado Eddie Kramer, também creditado no EP “I'm The Man” (1987), essa parceria renderia algumas divergências na hora da mixagem, Kramer era favorável a um som mais polido e limpo e a banda queria algo mais visceral. Apesar das brigas entre as partes, no fim a vontade da banda prevaleceu sobre a do produtor, além de Kramer também fez parte da produção Jon Zazula.

Todas as músicas foram compostas em conjunto por todos os membros do Anthrax, as exceções são "I Am The Law" e "Imitation Of Life", que foram compostas junto com Dan Lilker (baixista no álbum “Fistful Of Metal” e um dos membros fundadores do grupo). 

As letras trazem muitas referencias a cultura “pop” em geral, "I Am The Law" é baseada no personagem Judge Dredd, "Efilnikufesin(NFL)" (que ao contrário lê-se “Nice Fuckin Life”) é sobre a vida de John Belushi (“Saturday Night Live” e “Os Irmãos Cara-de-Pau”), a faixa titulo é inspirada no romance “The Stand”, publicado em 1978 pelo escritor Stephen King, e que aqui no Brasil foi traduzido como “A Dança da Morte”.

O mestre do terror, aliás, ainda tem mais uma obra homenageada pela banda, a excelente “Skeleton In The Closet”, que retrata a obra “O Aprendiz” (no original “Apt Pupil”), por fim, a bela capa do álbum traz a figura do que seria o personagem "Henry Kane" presente no filme  “Poltergeist II - O Outro Lado” de Brian Gibson. 

As homenagens contidas neste álbum não ficaram apenas restritas a histórias de King ou personagens de filmes e HQ’s, uma bela e merecida homenagem, ainda que infelizmente póstuma, é para o falecido baixista do Metallica, o eterno Cliff Burton, morto em um acidente em setembro de 1986.


Musicalmente a banda se mostrou, em grande parte do disco, mais rápida que no antecessor “Spreading The Disease”, pode se dizer que nesse terceiro trabalho de estúdio, Scott e cia já estavam atingindo a plenitude do amadurecimento como músicos e banda. O sempre carismático Joey Belladonna, em seu segundo disco à frente do Anthrax conseguiu provar que mereceu a vaga que era de Neil Turbin e que anos mais tarde seria de John Bush (Armored Saint e Stone Soldier). 

Frank Bello também foi muito bem no baixo, vamos admitir que as linhas de baixo do Anthrax sempre foram um espetáculo a parte e nos anos que se seguiram, Bello confirmou seu nome como um dos mais importantes baixistas de Thrash Metal da história.

Quantos aos membros mais veteranos, primeiro deve-se dar as honras à dupla das seis cordas, Scott Ian e Dan Spitz, juntos eles criaram um festival de bons riffs, além é claro, dos solos na “velocidade da luz”, marca registrada da banda. Por fim o maior destaque individual de “Among The Living”, particularmente falando é claro, fica por conta das baquetas de Charlie Benante, somente a gravação de "Caught In A Mosh" deve ter custado algumas peles da bateria do senhor Benante.

Uma grande parte dos fãs da banda considera esse o auge do Anthrax, afirmação muito discutida e questionada ao longo dos anos, fato é que a formação com Belladonna e Frank seria eternizada como a melhor formação dos Nova-Iorquinos, formação que se manteve a mesma até “Persistence Of Time”(1990). 

Recentemente foi confirmado a noticia que a banda ira entrar em turnê de comemoração aos trinta anos desse disco, a turnê terá o nome de “Among The Kings” e trará o Anthrax executando o trabalho na íntegra.

O terceiro full-length do Anthrax conseguiu ser um marco para o estilo, ainda que para alguns seja um tanto quanto “superestimado”, a postura da banda e as canções encontradas aqui serviriam de inspiração para gerações inteiras de amantes da musica pesada, me incluo nesses influenciados e provavelmente o leitor desse texto também deve se incluir.


Integrantes: 

Joey Belladonna -Vocal
Scott Ian - Guitarra e backing vocals
Dan Spitz - Guitarra solo
Frank Bello - Baixo e backing vocals
Charlie Benante – Bateria

Faixas:

01. "Among The Living"   
02. "Caught In A Mosh" 
03. "I Am The Law"  
04. "Efilnikufesin (N.F.L.)"     
05. "A Skeleton In The Closet"     
06. "Indians"     
07. "One World"     
08. "A.D.I./Horror Of It All"     
09. "Imitation Of Life"   


Por Vitor Hugo Quatroque