quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Resenha: Myrath - 'Legacy' (2016)


Pegue sua cimitarra, coloque o turbante e tire aquela fita do Prince of Persia da gaveta, é hora da aulinha sobre o Oriente Médio! Depois de ‘Tales of the Sands’, onde o quinteto Tunisiano Myrath apostou na mistura Prog/Power com bom resultado, ‘Legacy’ marca o retorno às raízes de uma banda extremamente interessante, apesar de quase ser totalmente mainstream hoje. Pra quem não sabe, esses vagabundos sairam de uma verdadeira periferia em se tratando de Heavy Metal (Ez-zahra, cidade tiquinha da Tunísia banhada pelo Mediterrâneo) e vêm galgando seu canto na cena de forma extremamente revigorante e competente – claro, que com umas pitadas de puxação de saco de gravadora aqui e ali.



Todas as músicas em ‘Legacy’ fazem questão de derramar um pouquinho, que seja, de elementos típicos Árabes, o que endossa ainda mais o lugar do Myrath como uma força da natureza no Power Metal. Há aqui uma consistência um pouco maior ao som e produção se comparados a seu antecessor, basicamente em uma divisão mais balanceada e mixagem justa com todos os instrumentos, da guitarra ao Ney, típico instrumento do Oriente Médio. Aliando de forma competente melodia, energia e força, os Africanos soltam uma bomba logo de início com a explosiva – e comercial, mas tudo bem, gostamos mesmo assim – “Believer”, som divertido com um refrão mais grudento que ranho de bebê. Faixas como “The Needle” e “The Unburnt” entregam as influências dos caras em Symphony X nos arranjos mas sem soar como cópia descarada, enquanto que “Nobody’s Lives” e “Duat” cadenciam a experiência, sem abrir mão dos elementos-chave como peso, melodia e a característica atmosfera árabe. Dou atenção especial à ótima “Get Your Freedom Back” e a surpreendente “I Want to Die”, duas músicas que ilustram bem a capacidade de escrever músicas do tecladista Elyes Bouchoucha (bochecha?!); simples e pura, e ao mesmo tempo sofisticada e compensadora. Os vocais do Prince of Per…ops, Zaher Zorgati são matadores e o trabalho de guitarra de Malek Ben Arbia combina bem com os elementos folk, enquanto que a produção e mixagem – já mencionadas – enriquecem mais o produto final por conta do número de detalhes sonoros.


‘Legacy’ reafirma o Myrath como uma banda única e atraente. O play não vai destronar ‘Desert Call’ como o melhor dos Africanos, mas vai definitivamente manter o Myrath num pedestal do gênero Prog/Power e em evidência na cena em geral. Cuidado, essa merda vicia mais que ópio.

Nota: 8.2

Integrantes:

Anis Jouini (Baixo)
Malek Ben Arbia (Guitarra)
Elyes Bouchoucha (Teclado, Vocais Adicionais)
Zaher Zorgati (Vocais)
Morgan Berthet (Bateria)

Faixas:

1. Jasmin
2. Believer
3. Get Your Freedom Back
4. Nobody's Lives
5. The Needle
6. Through Your Eyes
7. The Unburnt
8. I Want to Die
9. Duat
10. Endure the Silence
11. Storm of Lies

Por Bruno Medeiros