domingo, 15 de maio de 2016

Misfits - "Walk Among Us" (1982)



Aproveitando o anuncio oficial da reunião da banda em sua formação original, para dois shows, espero que não fique só nisso, resolvi resenhar o álbum mais emblemático dos caras. 


Diferentemente da maioria das bandas punk da época que entoavam canções sobre política, a classe trabalhadora e injustiça social, o Misfits se concentrou em uma temática um pouco diferente, abordando em suas letras a paixão pelos filmes de horror trash e sci-fi, das décadas de 50 e 60, zumbis, assassinatos, fantasmas, vampiros e violência, são temas recorrentes, devido a essa temática a banda acabou por criar um novo sub estilo dentro do Punk, o Horror Punk. 

O Misfits foi formado em Lodi, New Jersey em 1977 pelo vocalista Glenn Danzig e pelo baixista Jerry Only, a banda tem seu nome inspirado no ultimo filme de Marilyn Monroe, The Misfits (1961)

Walk Among Us, após diversos singles, foi o primeiro álbum da banda a ser lançado, (embora tenha sido, na verdade, o terceiro a ser gravado, depois de Static Age e 12 Hits from Hell, álbuns que diversos selos se recusaram a lançar na época), sendo originalmente co-lançado pelos selos Ruby e Slash Records em março de 1982. A capa do álbum combina imagens dos filmes de ficção cientifica The Angry Red Planet (1959) e Earth vs. the Flying Saucers (1956) junto a uma fotografia da banda. 

Walk Among Us, trás em seu conteúdo 13 canções rápidas, cativantes, divertidas, executadas em cerca de 25 minutos, musica simples e direta, a essência do Punk Rock.

A qualidade da produção não é das melhores, visto o ano de seu lançamento e falta de recursos financeiros, mas ainda é decente o suficiente e com as versões reeditadas, soa perfeitamente boa.



A maior desvantagem na falta de qualidade na produção é que a mesma não faz jus ao talento vocal de Glenn Danzig em comparação com seu material solo lançado posteriormente.
No entanto, os vocais ainda conseguem soar excepcionais com uma intensidade impressionante além de sua assinatura estilo bluesy e muita versatilidade. Os vocais de apoio são um dos destaques, desempenham um papel importante no registro, sendo perceptível em quase todas as músicas, com Doyle e Jerry Only fazendo um excelente trabalho.

O instrumental não é, obviamente, dos mais complexos, assim como em muitos álbuns de Punk, mas a banda sabe como explorar, dentro de suas limitações, o máximo de seu potencial e dos três acordes. Riffs simples, ausência de solos e uma cozinha, baixo e bateria, que cumprem seu papel de forma satisfatória, em resumo, uma sonoridade das mais simples, alguns podem torcer o nariz, mas é ai que está o segredo da sonoridade da banda, a qual a tornou impar em sua época. 

A faixa que abre o álbum é um verdadeiro clássico da banda, "20 Eyes"  é uma canção tradicional do Misfits e define o tom para as outras doze canções, "I Turned Into a Martian" a melhor faixa do álbum, rápida e com ótimos coros polifônicos "All Hell Breaks Loose" faixa possuidora de uma das melhores percussões do álbum, apresentando riffs cortantes além de uma linha de baixo constante e pulsante. "Vampira" homenagem a atriz finlandesa Maila Nurmi e sua icônica personagem de horror, famosa na década de 50.  "Nike-A-Go-Go", canção sobre o "Projeto Nike" de mísseis antiaéreos desenvolvido pelos EUA na década de 40, "Hate Breeders"  canção tipica da banda, som cadenciado, repleta de backing vocals e Glenn detonando nos vocais, "Mommy, Can I Go Out and Kill Tonight?" faixa ao vivo extraída de um show da banda no Ritz de Nova York em 1981, "Night of the Living Dead" homenagem ao clássico de terror homônimo de George A. Romero (1968), "Skulls"  seu refrão é uma das melhores partes do álbum, "Violent World" canção sobre a revista homônima aonde eram mostradas cenas de execução e gore, "Horror Hotel"  referencia ao filme de horror homônimo de John Llewellyn Moxey (1960),  "Ghoul's Night Out" referencia ao filme de horror "Night of the Ghouls" do lendário diretor Ed Wood e fechando o registro temos "Braineaters" canção muito diferente em comparação com o resto do álbum, a música é basicamente uma espécie de cântico de futebol com muitos OI!. De qualquer forma, é uma maneira muito adequada para encerrar o álbum.


Walk Among Us é um verdadeiro clássico do punk apresentando uma proposta diferente da multidão de bandas que buscavam algum destaque, apenas peca por sua breve duração, 25 minutos é muito pouco, deixa aquele gostinho de "quero mais"  

Infelizmente o Misfits não obteve o devido reconhecimento na época encerrando atividades em 1983, após o lançamento de Earth A.D./Wolfs Blood e a saída de Glenn Danzig. 

A banda ressurgiu das cinzas no final da década de noventa, após anos de batalha judicial entre os membros e continua em atividade até hoje, mas ai é outra história... 

Apesar de tudo o Misfits deixou seu legado, criou um estilo próprio e posteriormente influenciou e influencia até hoje diversas bandas, além disso, possui uma verdadeira legião de fãs espalhados mundo afora, se tornou "cult" e um dos maiores ícones do Punk. 

Give Me Your Skull!


Integrantes: 

Glenn Danzig - Vocal
Jerry Only - Baixo
Doyle - Guitarra

Arthur Googy - Bateria

Faixas:

 1. 20 Eyes
 2. I Turned Into A Martian
 3. All Hell Breaks Loose
 4. Vampira
 5. NikeAGoGo
 6. Hatebreeders
 7. Mommy, Can I Go Out And Kill Tonight?
 8. Night Of The Living Dead
 9. Skulls
10. Violent World
11. Devils Whorehouse
12. Astro Zombies
13. Braineaters

por Cláudio Santos