sexta-feira, 20 de maio de 2016

Discos Trintões: Accept - “Russian Roulette” (1986)


Muito do respeito e historia que o nome Accept carrega foi conseguido graças a sua fase clássica que consiste nos 7 primeiros álbuns da banda. Em 1986 o ultimo registro dessa fase era apresentado ao mundo e “Russian Roulette” marca a despedida de Udo Dirkschneider e Jörg Fischer do grupo.

O disco tinha a dificílima missão de ser o sucessor do aclamado “Metal Heart”(1985), sabendo disso a banda não poupou esforços e já no ano seguinte, entregou aos fãs 10 novas faixas que juntas totalizam quase 44 minutos do que podemos chamar de uma verdadeira aula de musica pesada.

Já na primeira canção, a clássica “TV War”, percebemos o primeiro destaque do disco, o baterista Stefan Kaufmann, com bumbos duplos rápidos e muito bem executados. No decorrer das faixas é nítido como Stefan tem um repertorio variado nas baquetas e não se limita apenas a usar velocidade e força.
Nas 4 cordas, Peter Baltes mais uma vez mostra a sua tradicional consistência, as linhas são audíveis e destacam-se em meio ao instrumental, em partes pontuais de algumas faixas, Peter ainda atua como protagonista como por exemplo na música “It's Hard To Find A Way”.

O vocal de Udo Dirkschneider dispensa apresentações, o “baixinho” simplesmente é genial e nesse, que seria seu ultimo trabalho no grupo antes do magistral retorno em “Objection Overruled”(1993), analisar e elogiar  individualmente a sua contribuição é apenas chover no molhado.  Udo tem lugar garantido no hall dos mais emblemáticos vocalistas do Hevay Metal, ao lado é claro de nomes como Dio, Halford e King Diamond, entre outros.


Os guitarristas Wolf Hoffmann e Jörg Fischer são a “dupla dinâmica” das guitarras, Jörg assim como Udo, sai da banda pela porta da frente, ajudando a compor todos os excelentes riffs desenvolvidos no disco e ainda que sobrem elogios ao trabalho de Fischer, os solos do Sr. Hoffmann são memoráveis e merecem o devido destaque. O guitarrista está entre aqueles que podemos e devemos considerar gênios da música pesada, o que Wolf fez e ainda faz pelo Heavy Metal e pelo Accept, é comparável ao que Tony Iommi fez pelo Black Sabbath (logicamente sem comparar a dimensão das duas bandas). 

Os destaques do álbum são... O álbum por inteiro, afinal todas as faixas são ótimas e é muito difícil destacar duas ou três canções, visto que o alto nível desenvolvido é igualitário e bem distribuído em todas as dez composições. Este é um daqueles registros onde não se consegue parar de ouvir, conta com refrões viciantes, riffs deliciosos e letras muito bem escritas. 
  
Alguns problemas internos e divergências musicais, causaram uma ruptura em uma das mais sólidas bandas de todos os tempos e depois de “Russian Roulette”, demoraria alguns até o Accept se reestruturar totalmente e voltar a produzir material equiparável aos primeiros trabalhos. 

Atualmente, com a voz de Mark Tornillo, o grupo alemão ainda mostra toda a sua força e mesmo depois de tantos anos, servem de exemplo a outros nomes consagrados, já que o Accept ainda é capaz de criar e tocar como se estivesse no começo de sua carreira. Basta ouvir os últimos discos ou ir a algum de seus recentes shows para ter essa comprovação.

A trinca iniciada em “Balls To The Wall”(1983) e   complementada por “Metal Heart”(1985), foi devidamente fechada com “Russian Roulette”. Clássico após clássico, em seu sétimo álbum, um registro impecável, essencial e obrigatório a todo amante de Heavy Metal, o Accept chegou ao que considero a sua obra prima.



Line up:

Udo Dirkschneider (vocal)
Jörg Fischer (guitarra)
Wolf Hoffmann (guitarra)
Peter Baltes (baixo)
Stefan Kaufmann (bateria)

Faixas:

 1 - T.V. War
 2 - Monsterman
 3 - Russian Roulette
 4 - It's Hard to Find a Way
 5 - Aiming High
 6 - Heaven Is Hell
 7 - Another Second to Be
 8 - Walking in the Shadow
 9 - Man Enough to Cry
10 - Stand Tight

por Vitor Hugo Quartoque

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...