terça-feira, 18 de julho de 2017

Pillorian​ - "Obsidian Arc" (2017)

Eisenwald Tonschmiede

Mundo Metal [ Lançamento ]



É muito comum ver bandas que já passaram por diversas mudanças na sua line-up, sejam elas por desavenças pessoais entres os integrantes ou qualquer outro motivo, dificilmente nos deparamos com formações que estejam intactas desde a sua fundação, e principalmente quando se trata de um grupo que já tem um bom tempo de carreira. Em alguns casos, as bandas optam por encerrar a sua carreira de uma vez por todas ou entrar em um hiato indefinido, nesse meio tempo, alguns dos membros remanescentes resolvem criar outros projetos e em algumas poucas ocasiões, esses integrantes conseguem montar um super grupo formado apenas por bons músicos, que já fizeram parte de diversos grupos consagrados.

O Pillorian é a prova viva disso, trata-se de um power trio formado por músicos que já fizeram ou ainda fazem parte de outros grupos.O vocalista e guitarrista John Haughm, por exemplo, já fez parte da extinta banda, Agalloch, no qual ele também era o vocal e, atualmente, tem um projeto homônimo e também faz parte das bandas Pillorian e Art Of The Black Blood. O baterista Trevor Matthews também faz parte das bandas Uada e Infernus, e o baixista e guitartista Stephen Parker, fez parte da banda de Black/Death Metal, Arkhum e, hoje, também é membro das bandas Banewreaker, Maestus, The Will Of a Million e Worlds Are Wind.

Esse grupo foi formado em 2016, está ativo e é oriundo dos Estados Unidos, até o momento lançou apenas um single e um full-lenght. Apesar de ainda ser uma banda bem recente, se saiu muito bem com esse trabalho de estréia, onde o belíssimo entrosamento entre os integrantes é nítido e o desempenho individual é refletido das músicas.

O álbum possui uma sonoridade que em alguns momentos lembra bastante o que era feito na banda Agalloch, principalmente nas partes mais cadenciadas e nos vocais limpos, porém o instrumental aqui é mais agressivo e melhor trabalhado. As linhas de guitarra possuem bons riffs, a cozinha é ótima, tanto o baixo quanto a bateria souberam mesclar bem a técnica com a agressividade, nas partes vocais ocorrem algumas alternâncias, onde oras se destacam guturais bem rasgados e em algumas passagens, John canta de forma mais limpa.


Um outro destaque interessante no registro, além do feeling incrível, é a atmosfera presente nas composições, em alguns momentos é algo mais sombrio e obscuro e em outras passagens, há uma enorme mudança, onde o instrumental fica mais arrastado e nas partes em que o vocal está limpo, o instrumental fica mais denso e até mesmo viajante.

"Obsidian Arc" contém sete faixas e a sua duração total é de um pouco mais de quarenta e oito minutos, as letras abordam temáticas diversas, entre elas a misantropia, o niilismo, e o esoterismo, temas esses que combinam perfeitamente com a sonoridade da banda. Na arte da capa, percebemos uma perfeita sincronia entre visual e tema abordado, pois a mesma transmite certa negatividade e tem uma vibe bem fúnebre. O responsável pela criação foi o artista belga Niels Geybels.

Em suma, o registro ficou sensacional e ainda mais por se tratar de um álbum debut, certamente a experiência e o potencial de cada músico participante fez a diferença para que o trabalho apresentasse boa qualidade musical. Aos apreciadores de Metal extremo, principalmente aos fãs da banda Agalloch, ouçam esse disco, vocês irão gostar bastante. Recomendo !

Nota: 9,5

 *Nota do site The Metal Club: 9,04

Formação:

John Haughm - (vocal e guitarra)
Stephen Parker - (baixo e guitarra)
Trevor Matthews - (bateria)

Faixas:

1. By The Light Of a Black Sun
2. Archaen Divinity 
3. The Vestige Of Thorns 
4. Forged Iron Crucible 
5. A Stygian Pyre
6. The Sentient Arcanum
7. Dark Is The River Of Man


Redigido Por Marconi Silva

*A nota do site The Metal Club é sujeita a modificações de acordo com as avaliações dos seus usuários. Acesse, avalie e veja se sua nota bate com a nossa: The Metal Club