sábado, 19 de novembro de 2016

Superações: Tony Iommi


Tony Iommi é o guitarrista e fundador da lendária banda de heavy metal Black Sabbath e um ícone das 6 cordas, mas você sabia que ele não tem uma parte de dois dedos da sua mão direita? Acredito que quase todos saibam.

Tony Iommi é um dos maiores guitarristas do mundo de todos os tempos, porém antes do Black Sabbath, Tony sofreu um acidente no seu trabalho que poderia ter custado sua carreira musical. 

"Antes do BLACK SABBATH eu costumava trabalhar numa fábrica. Um dia, quando eu coloquei a minha mão em uma das máquinas, ela desceu e acabou cortando as pontas dos meus dedos fora. Eu achei que não iria tocar nunca mais. Fiquei muito triste. Mais tarde, um empresário me trouxe uma gravação de Django Reinhardt (um ícone do jazz, que tocava apenas com três dedos) e isso realmente me fez voltar a tocar." Afirmou Iommi em uma entrevista dada ao Times Online em 2006.

Pelo fato de o fazer usar cordas mais macias e próteses nas pontas dos dedos anular e médio da mão direita, faz com que algumas sonoridades sejam únicas e características de Iommi. Conseguimos imaginar o Sabbath sem Ozzy, mas acredito que não tem nem como passar pela cabeça sem Tony Iommi, o verdadeiro coração do Sabbath.

Sobre sua maneira de tocar, Tony afirma: "Aquilo definitivamente mudou o meu estilo. Eu tive que encontrar formas diferentes para tocar os acordes e fazê-los soar bem. (Os médicos do) hospital me aconselharam a parar de tocar, mas eu não aceitava isso, então tive que arranjar um jeito para tocar confortavelmente. Eu fiz essas pontas de dedo usando um pedaço de garrafa que eu tinha derretido e que fui modelando ao redor do meu dedo. Foi um método meio rústico, mas funcionou para mim."

O acidente ocorreu quando o guitarrista tinha apenas 17 anos, conforme mostra acima "Django Reinhardt" foi a maior inspiração para o guitarrista nunca desistir. Já as cordas macias que citei, na verdade são cordas de banjo, uma afinação nada comum para uma guitarra de Heavy Metal. Sobre outras curiosidades, desde que voltou a tocar, Tony começou a testar diversas maneiras de tocar, como por exemplo as que deram certo: usar afinação das cordas mais graves e usar a entrada de baixo nos amplificadores, tudo isso só agregava em uma maneira única de tocar.

Será que á males que vem para o bem? Neste caso, não tenho dúvidas. Deixem dicas nos comentários dos próximos artigos do "Superações".

por Maykon Kjellin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...