sábado, 19 de novembro de 2016

Lançamento: Vader - "The Empire" (2016)


Apesar de ter lançado seu debut só em 1992, o Vader anda pelos Halls do Metal desde 1983 quando os gêneros extremos do Heavy Metal estavam surgindo, como Thrash, Black e Death. Na época tocando apenas em bares locais, os guerreiros Poloneses liderados por Piotr Pawel Wiwczarek – mais conhecido como Peter – começaram como um grupo de Speed/Heavy e foram moldando lentamente seu som até chegar no mais puro Death Metal, basicamente por conta de mudanças no lineup e gosto pessoal de Peter. Claramente uma das melhores e maiores bandas a sair da Polônia – junto do Behemoth e algumas outras -, seja debulhando no Thrash, Death ou qualquer outra merda, o Vader nunca decepciona, e dessa vez abriram a caixa de ferramentas de novo e destroem tudo em seu caminho.

‘The Empire’ é o 13º play dos demônios de Olsztyn e é basicamente uma experiência Thrash regada a passagens brutais. Com a marca atrativa de apenas 33:02 minutos, os loucos não perdem tempo e já começam indo direto pra jugular com riffs viscerais, cozinha poderosa e crua e, como de costume, os inigualáveis latidos de Peter. “Angels of Steel” e “Tempest” chutam a porta e formam um turbilhão caótico repleto de mudanças de ritmo e elementos técnicos, tais como solos em escala. A primeira dá só um gostinho da destruição por vir e parece uma introdução aos portões do inferno. A segunda (e mais interessante) continua te dando porradas no baço e entrega uma pegada Thrash mid-tempo misturada com elementos básicos de Death Metal – uma característica do Vader. “Prayer to the God of War” já havia sido lançada no (ótimo) EP ‘Iron Times’ em Agosto, e de novo oblitera tudo ao redor com uma mescla de brutalidade e raiva; facilmente uma das melhores do álbum, tem um ótimo refrão feito pra atacar os tímpanos dos mais desavisados. “Iron Reign” acalma um pouco os ânimos e serve como um descanso aos ouvidos; apesar de não tão rápida quanto outras no play, cumpre bem seu objetivo de tornar velocidade em peso. Pense nessa como uma mistureba entre a construção crua e potente de faixas do Sodom com o groove e melodias de canções do Testament.


Mas não se preocupe: a hora da naninha acaba com “No Gravity”. Volto atenção especial aqui para James Stewart nas baquetas; essa besta foi a adição perfeita ao Vader, e o cara consegue transitar com extrema facilidade entre a porradaria Death com bumbos duplos e abordagens mais cadenciadas e controladas. E, de novo, a voz de Peter combina perfeitamente com o clima sanguinário e selvagem do hino. “Genocidius” continua a perversão com linhas rápidas e ainda mais brutalidade e ira. Curiosamente, porém, a sequencial “Army-Geddon” abandona a levada old-school e depende mais de um som moderno, seja nos riffs quebrados ou nos arranjos dos instrumentos de suporte. Essa mudança drástica em um álbum basicamente homogêneo é um tanto estranha, mas essa ainda é uma faixa de qualidade, de qualquer forma.

A parte final do play é composta de três outras faixas de boa qualidade: “Feel My Pain”, “Parabellum” (faixa também lançada no ‘Iron Times’) e “Send Me Back to Hell”. A primeira abusa do trabalho de guitarra mais grave e tem um arranjo interessante na bateria com uso excessivo do chimbau e pratos, enquanto que a última é uma das mais maldosas do trabalho, encerrando perfeitamente a jornada destruidora. 

O Vader raramente erra. ‘The Empire’ é mais uma ótima ilustração da ferocidade e poder desses monstros, e enquanto é mais Thrash do que Death, ainda possui muitos elementos de ambos os estilos. Ótimas performances de Peter, James, Spider (guitarra) e Hal (baixo) e um pouco de segurança aliada à uma ou outra parte experimental fazem do trabalho um bom candidato a listas de Thrash por aí. Claro, esse não é um lançamento que vai explodir sua mente, te fazer pensar na arte como música ou sequer é uma obra-prima, mas sua ferocidade e bestialidade contribuem para o produto final, que é um álbum divertido, competente e respeitável. Altamente recomendado.


Nota:
8 

Integrantes:

Peter (guitarra e vocal)
Spider (guitarra)
Hal (baixo)
James Stewart (bateria)

Faixas:

 1. Angels of Steel 
 2. Tempest 02:41  
 3. Prayer to the God of War 
 4.Iron Reign 
 5. No Gravity  
 6. Genocidius  
 7. The Army-Geddon 
 8. Feel My Pain 
 9. Parabellum 
10. Send Me Back to Hell

Por Bruno Medeiros
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...