quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Slayer: futuro da banda é incerto, será este o fim?


Em meio a uma onda devastadora de nomes renomados da música pesada anunciando o seu fim e muitas outras bandas ainda tocando, porém com formações que parecem mais uma concha de retalhos do que suas formações clássicas, eis que surge mais uma notícia que se por um acaso se confirmar, dará mais um duro golpe no Metal, mais especificamente no Thrash.

Em uma entrevista recente a Loudwire , em um clima de descontração Tom Araya foi questionado sobre aposentadoria, o baixista e vocalista do Slayer respondeu a questão da seguinte maneira:

"Após 35 anos, é hora de recolher a minha pensão (risos). Este é um passo em minha carreira e eu sou grato por temos tocado por cerca de 35 anos, é um tempo muito longo. Então sim, para mim é a hora. Quando nós começamos tudo foi ótimo, porque sabe, você  é jovem e invencível, mas depois chegou uma hora em que eu me tornei um homem de família. Tive um momento difícil voando pra lá e pra cá, então agora, nesta fase, no nível que estamos agora, eu posso fazer isso, eu posso voar de volta para casa quando eu quero, em dias de folga eu passo algum tempo com a minha família, que é algo que eu não era capaz de fazer quando meus filhos estavam crescendo. Agora os dois estão mais velhos e maduros, então eu vou tirar vantagem disso"

Tal declaração liga um sinal de alerta e é impossível não lembrar dos anos recentes e todos os acontecimentos envolvendo a banda. O Slayer conseguiu seguir adiante mesmo quando perdeu dois de seus membros originais, Dave Lombardo saiu por discordar da maneira como Kerry King trata os negócios relacionados ao grupo e Jeff Hanneman faleceu em 2013. 

Muitos fãs não acreditavam e não queriam que a banda seguisse, principalmente sem Jeff, o responsável por uma grande parte das composições, porém Gary Holt (Exodus) assumiu o posto e "Repentless", o último disco lançado, acabou surpreendendo a todos e a impressão era a de que o Slayer permaneceria ainda por bons anos na ativa.


A grande pergunta que fica agora é, levando em conta o fato de que Tom odeia estar em turnês e agora com a declaração pública de que o músico pretende se aposentar, poderia a banda seguir em frente? Sinceramente não consigo nem imaginar o Slayer no palco sem a presença e a voz característica e inconfundível do senhor Araya. 

Kerry King foi questionado sobre tais declarações e sobre os planos de Tom para o futuro do Slayer, a resposta foi a seguinte: "É totalmente incerto. É apenas como ele é. Não sei se ele gosta de guardar as suas cartas na manga ou o quê. Quero dizer, eu não tenho uma resposta, eu estou adiando um monte de coisas que eu quero fazer na minha casa só porque eu não sei se eu vou estar trabalhando daqui a dois anos. Aliás, vou estar trabalhando, espero que com o Slayer. Sim claro, o que mais eu estaria fazendo? Eu saí da escola e caí em uma porra de uma turnê (Risos)."

Após a resposta de King, inevitavelmente a pergunta seguinte foi relacionada a um fim próximo para o Slayer, "Não para mim. Não para mim cara. Especialmente depois de um bom registro. Não sei se tocarei por mais 35 anos, mas ainda gravarei mais um ou dois álbuns."

A situação da banda segue indefinida e mesmo que Tom seja persuadido a permanecer por mais alguns anos, mesmo que grave mais um disco, o grupo não parece ter folego para muito mais e a cada dia, o fim parece estar mais próximo.

O encerramento das atividades de um ícone máximo da música extrema como o Slayer parece ser algo difícil de superar, porém caso aconteça, devemos nos lembrar que deixaram um legado fantástico e que sem dúvidas, jamais será esquecido. A única situação que seria realmente desastrosa, seria ver um Slayer subindo ao palco com Kerry King sendo o único integrante da formação original, espero que isso não aconteça.

por Fabio Reis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...