quinta-feira, 7 de julho de 2016

Live Review: Suicidal Tendencies - South American Tour 2016


Áudio Club - São Paulo – 02/07/2016


Quando foi anunciado que o lendário baterista Dave Lombardo (ex-Slayer) se uniu aos ícones do Hardcore Punk/Crossover Thrash, Suicidal Tendencies, as expectativas criadas para o que surgiria a partir dessa reunião foram muitas e pessoalmente, creio que foram até mesmo superadas. O que teve início com uma série de shows bem sucedidos com Dave assumindo as baquetas culminou numa parceria sólida, visto que o grupo liderado pelo carismático vocalista Mike “Cyco Miko” Muir está prestes a lançar um álbum de inéditas, contando com o baterista Lombardo, em setembro desse ano. Uma tremenda revigorada para a banda! 

Dois anos após a última passagem do grupo por terras brasileiras, a banda californiana retorna para nosso território tupiniquim para realizar uma única apresentação em São Paulo, no festival HonorSounds, na casa de shows Áudio Club, localizada na região da Barra Funda. Além do Suicidal Tendencies, o festival contou com as bandas Tolerância Zero, Oitão e Ratos De Porão. Primeiramente, devo dizer que a escolha do local para a apresentação foi simplesmente perfeita! Trata-se de uma casa de fácil acesso e que conta com uma infraestrutura admirável e muito adequada para um evento desse porte.

A primeira atração da noite foi o Tolerância Zero, banda que está na ativa desde 1997 e serviu como um aperitivo intenso para todo o caos que viria depois. É importante mencionar que a casa foi lotando aos poucos, ainda mais pelo fato de que os músicos do Suicidal Tendencies compareceram a uma sessão de autógrafos na loja de instrumentos musicais Reference, na região de Pinheiros. Tal fato fez com que muitos dos fãs da banda comparecessem para conhecer a banda, que ainda que tivesse que lidar com um prazo bastante apertado, foi muito atenciosa com todos, tirando fotos e autografando os itens de sua legião de apreciadores.


De volta ao evento, o segundo aperitivo da noite foi o Oitão. A banda liderada pelo chef de cozinha e vocalista Henrique Fogaça não fez feio e realizou um show extremamente energético e envolvente.  No ano passado o grupo lançou o ótimo disco “Pobre Povo” e a apresentação foi irrepreensível. Fogaça subiu ao palco vestindo uma grotesca máscara de freira, bangueando e agitando pelo palco e o repertório e a execução das canções foi simplesmente brutal. Destaque para a pequena participação do vocalista Túlio, do D.F.C., que subiu ao palco para cantar um dos maiores clássicos de sua banda, “Molecada 666” e a clássica “Olho Seco”, hino dos veteranos do Olho Seco. Sem comentários!

Quando os presentes pensavam que não dava pra ficar ainda mais insano, eis que entra em cena a maior lenda do Hardcore nacional, Ratos De Porão! Assim que sobem ao palco, o sempre divertido vocalista João Gordo anuncia que estão comemorando os 25 anos do histórico álbum “Anarkophobia” e que irão tocar o repertório do disco na íntegra. O que veio após esse breve discurso? Pancadaria, meus amigos! Pancadaria da melhor qualidade. R.D.P. ao vivo sempre é matador e quando uma banda dessa magnitude decide tocar um de seus trabalhos mais aclamados na íntegra, o resultado não poderia ser outro. Se nos shows anteriores o público ainda estava relativamente tímido, o cenário mudou completamente de figura nessa apresentação. A plateia cantou, bangueou, promoveu crows surfings insanos e o mosh comeu solto! Além das canções de “Anarkophobia”, a banda tocou canções de porte como a recente “Conflito Violento” e as clássicas “Herança”, “Amazônia Nunca Mais”, “Beber Até Morrer” e “Aids, Pops, Repressão”. Que aquecimento, ein, meus amigos?


E após uma longa espera que parecia jamais terminar, às 23h30 o show “headliner” se iniciou e de uma forma totalmente inusitada. Uma menininha, vestindo uma bandana da banda, aparece no palco e diz a seguinte frase: “Boa noite, São Paulo! Com vocês, Suicidal Tendencies!” Com uma abertura dessas, a banda norte americana já estava com o público mais do que ganho, não é mesmo? Entretanto, quando se iniciaram os primeiros arranjos do hit “You Can’t Bring Me Down” é que a coisa realmente pegou fogo! Assim que o Mike Muir sobe ao palco e exclama “What the fuck is going on around here?”, a loucura toma conta da Áudio Club. O local realmente veio abaixo! Na música de abertura, a banda ainda fez um improviso no final da canção. 

O energético e alucinado frontmen anuncia a próxima música do setlist, a esmagadora “Two Sided Politics”, que foi recebida calorosamente, assim como a “grooveada” Go’n Breakdown. Um ponto que não pode ser deixado de mencionar é o clima que um show do S.T. possui. Diversas pessoas trajando camisetas da banda e outras vestimentas relacionadas ao estilo do grupo, tais como camisas de flanela, bonés de aba reta levantadas com o nome da banda, bandanas... Toda a mística do estilo Cyko estava ali, tornando a apresentação muito mais do que um mero show, mas uma confraternização quase que familiar. The Suicidal/Cyco family! Uma energia totalmente positiva e fantástica!

Dando sequência ao show, a estupenda “Trip at the Brain” foi executada na sequência, levando todos ao delírio. O desempenho de toda a banda foi descomunal. Dave Lombardo é um verdadeiro monstro em seu instrumento e isso não é nenhuma novidade. É muito interessante ver como o músico consegue se adaptar a qualquer estilo que toque, sempre apresentando o seu estilo pesado e peculiar. 

Os novatos Jeff Pogan (guitarra) e Ra Díaz (baixo) também demonstraram ser donos de um potencial absurdo, tocando as músicas com perfeição, além de muito “feeling” e carisma, sempre agitando e sorridentes. O mesmo pode ser dito do guitarrista Dean Pleasants, que está na banda há 20 anos. Tal como na apresentação do Napalm Death realizada no fim do mês passado, o frontmen Mike Muir proferiu discursos interessantes, trazendo mensagens positivistas e antirracistas, tornando o show ainda mais rico e interessante.


A paulada prosseguiu com a divertidíssima “Freedumb”, que foi precedida pelo hino “War Inside My Head”, uma das canções mais aguardadas da noite. Sua performance foi absurdamente fantástica e banda e público representaram, agitando de maneira incessante. O groove de “Subliminal” foi igualmente avassalador. Nos trechos mais acelerados, Mike pedia para a plateia promover um circle pit e obviamente, seu pedido foi atendido em todas as ocasiões. O público realmente se arrebentou na roda! Um som ainda mais cadenciado veio na sequência, a ótima “Send Me Your Money”. Sua levada ligeiramente funkeada e repleta de groove levou todos ao deliro.

Se o público pensava que o show já estava insano, agora sim a coisa iria esquentar! Antes de iniciar a próxima canção, Mike estica o braço em direção a plateia e pede para o público subir ao palco. O que foi que houve? Cerca de sessenta pessoas subiram ao palco e agitaram ao lado da banda durante a execução das clássicas músicas “Possessed to Skate” e “I Saw Your Mommy...”. Infelizmente, devido a quantidade de fãs presentes no palco, certos equipamentos foram violados e pertences tomados pelos presentes, fazendo com que um dos organizadores convidasse todos a descerem do palco. Ainda assim, foram minutos completamente insanos e... Suicidas! 

Esmagadora que só, “Cyco Vision” foi a próxima música da apresentação e sua recepção foi completamente brutal, fazendo o mosh comer solto novamente. Para dar uma amenizada, a lenta e igualmente clássica “How Will I Laugh Tomorrow” foi tocada. Outra performance digna de aplausos! A obrigatória “Pledge Your Allegiance” foi executada na sequência e sua execução foi simplesmente de arrepiar, com os coros polifônicos dos presentes tomando conta da Áudio Club.


Ainda que muitos dos presentes estivessem exaustos, a banda questiona se o público queria mais. É claro que a resposta foi positiva e dá-lhe “I Want More”, canção bastante sugestiva, uma vez que se trata de um bis. Falar o que sobre o desempenho da música! Simplesmente PxExRxFxExIxTxOx! Para encerrar com chave de ouro, tivemos nada mais nada menos que um dos maiores êxitos comerciais da história da banda, a inigualável “Institutionalized”, que encerrou a apresentação do modo mais apoteótico possível. 

Energético. Insano. Matador. Épico. Suicida. Particularmente, como fã ardoroso da banda é difícil encontrar um adjetivo para definir o show da banda. Na verdade, é impossível! Acredito que poderia tecer diversos argumentos ou classificá-lo de todas as maneiras imagináveis e ainda assim seria pouco para definir. Ainda assim, uma coisa é absolutamente certa: esse dia jamais será esquecido pelos fãs e Cycos de plantão. Uma apresentação completamente histórica, que permanecerá na memória de todos os presentes... Para sempre!


SUICIDAL 4 LIFE!
SxTx!

Integrantes:
Mike Muir (Vocal)
Jeff Pogan (Guitarra)
Dean Pleasants (Guitarra)
Ra Díaz (Baixo)
Dave Lombardo (Bateria)

Setlist:
01. You Can’t Bring Me Down
02. Two Sided Politics
03. Go’n Breakdown
04. Trip at the Brain
05. Freedumb
06. War Inside My Head
07. Subliminal
08. Send Me Your Money
09. Possessed to Skate
10. I Saw Your Mommy...
11. Cyco Vision
12. How Will I Laugh Tomorrow
13. Pledge Your Allegiance

Encore:
14. I Want More
15. Institutionalized

por David Torres

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...