sábado, 18 de junho de 2016

Os dez melhores discos da nova safra do Thrash (Parte 2): Woslom - "Evolustruction" (2013)


E eis que como prometido, nesta segunda parte temos uma banda brasileira aparecendo em meio aos dez melhores discos de Thrash concebidos por esta excepcional nova geração do estilo.

"Evolustruction" é o segundo trabalho do Woslom, banda paulista que já havia encantado e surpreendido os fãs do gênero com seu álbum de estréia, o excepcional "Time To Rise" (2010). Neste segundo registro, os caras demonstram uma evolução absurda e concebem um disco extremamente técnico e repleto de melodias marcantes.

Se em "Time To Rise", o grupo apresentava características que lembravam o Metallica dos velhos tempos, em "Evolustruction", as melhores referências são o Megadeth (antigo), Testament e Destruction, porém estas influências servem apenas para que possamos exemplificar o que o ouvinte irá escutar, a sonoridade da banda é muito longe de soar como uma cópia de qualquer um desses nomes mencionados.

O disco é sem dúvidas melhor trabalhado e possui um vasto leque de ritmos e andamentos. A variação é constante e juntamente com refrões marcantes, riffs matadores, solos precisos e uma série de viradas inesperadas, as composições ganham uma roupagem totalmente diferenciada e capaz de manter a atenção de quem o ouve, do primeiro ao último minuto. 

Individualmente, cada integrante merece menção, desde a parte rítmica formada pelo baixista Francisco Stanich Jr. e o excepcional baterista Fernando Oster, até as linhas de guitarra da dupla Silvano Aguilera e principalmente, Rafael Iak (o cara simplesmente arrebenta nos solos), a banda é impecável. Os vocais de Silvano conseguem soar ríspidos e agressivos, porém quando necessário, os timbres se adequam com os trechos mais melodiosos e o resultado é acima da média.


Como destaque, 4 momentos capazes de resumir as principais características e elementos do grupo. 

"Evolustruction": A faixa título é diferente de todas as outras do trabalho, possui uma musicalidade mais acessível, um refrão de fácil assimilação e um andamento muito agradável, é a típica composição que fica facilmente fixada na mente.

"Haunted By The Past": Não por mero acaso, esta é a música que sucede a faixa título e de maneira oposta, é uma típica música de Thrash Metal, visceral, com vocais agressivos, repleta de riffs e ótimas passagens instrumentais.

"Breathless (Justice's Fall)": Esta é o que chamo de uma canção concebida pra se tornar um clássico. Talvez a melhor composição da banda, daquelas onde tudo soa perfeito e qualquer fã de Thrash Metal, por mais exigente que seja, se identificará.

"Purgatory": A mais pesada e também a mais cadenciada, com um refrão primoroso e um final arrebatador. Indispensável num show e outra que já nasceu com todas as credenciais de um clássico do gênero.

Todo o registro é bem coeso e homogêneo, apesar dos destaques, as outras faixas são igualmente merecedoras de elogios e ressalvas positivas. "Evolustruction" está nessa lista por mérito e juntamente com os demais discos que serão analisados e ranqueados, tem mantido o gênero em alta e promovido uma enorme renovação num estilo que um dia, chegou a ser dado como morto.

Na terceira parte, vamos a Itália dissertar sobre um registro lançado em 2015, aguardem!


Integrantes:

Rafael Iak (guitarra)
Silvano Aguilera (vocal e guitarra)
Francisco Stanich Jr.  (baixo)
Fernando Oster (bateria)

Faixas:

1. Evolustruction
2. Haunted by the Past
3. Pray to Kill
4. River of Souls
5. No Last Chance
6. New Faith
7. Breathless (Justice’s Fall)
8. Purgatory
Bonus Track:
9. Breakdown (Mad Dragzter Cover)

por Fabio Reis