quarta-feira, 15 de junho de 2016

Candlemass - "Death Thy Lover" (2016) (EP)


Resenha enviada por nossos parceiros e amigos do Musikkaos. Acesse e curta a página no Facebook!


Após muitas especulações e dúvidas depois  do anúncio de que o Candlemass estaria encerrando atividades e supostamente, não seriam lançados mais álbuns de estúdio, eis que os suécos pioneiros do Doom Metal retornam quatro anos após seu último registro, o bom “Psalms Of The Dead” e apresentam o EP “Death Thy Lover”.

A ansiedade dos fãs era enorme e o primeiro pensamento antes de partir para esta audição era no sentido do que se esperar de um novo lançamento de um dos maiores expoentes do gênero, com álbuns de extrema importância para o Metal como os clássicos “Epicus Doomicus Metalicus” (1986), “Nightfall” (1987) e “Ancient Dreams” (1988).

Posso dizer que a primeira audição foi um tanto “diferente”, afinal, um dos nomes de maior importância em minha formação musical estava “voltando” a lançar material inédito e precisei ouvir “Death Thy Lover” mais de uma vez para que uma análise mais aprofundada pudesse ser feita.

O EP tem como faixa de abertura, a canção que dá título ao registro, nela fica evidenciado que a energia e a essência do Candlemass permanece intacta. Um riff marcante no início da canção, traz à tona características da fase antiga do grupo, em especial, um paralelo interessante com “Tales Of Creation” (1989) e aquela densa e sombria névoa sonora.  Destaco os acordes muito bem colocados, sintetizando aquela quebra de clima e encerrando com um solo de guitarra que casa de maneira perfeita com o riff inicial.


“Sinister and Sweet” mostra em seus primeiros momentos, aquela boa e inconfundível influência dos mestres do Black Sabbath, com um andamento cadenciado e riffs obscuros, unindo-se ao vocal de Mats Levén, que conduz a composição de forma impecável, mostrando a ótima fase em que os suecos se encontram.
Ainda temos “Sleeping Giant” e “The Goose”, que confirmam a excelência do lançamento e não deixam a qualidade cair em nenhum instante. Ambas são detentoras de excelente linhas vocais e de guitarra, onde destaca-se além do bom entrosamento, a parte rítmica formada por Jan Lindh (bateria) e o excepcional Leif Edling (baixo). 

Com “Death Thy Lover” , o quinteto de Estocolmo ressurge das cinzas com um dos EP’s que, sem dúvidas, coloca o grupo no topo do estilo novamente e já concorre ao posto de um dos melhores lançamentos do estilo em 2016 (em se tratando de EP’s).


Integrantes:

Leif Edling (baixo) 
Mats Mappe Björkman (guitarra) 
Lars Johansson (guitarra) 
Jan Lindh (bateria) 
Mats Levén (vocal) 

Faixas:

1. Death Thy Lover
2. Sinister and Sweet
3. Sleeping Giant
4. The Goose

por Bruno Faustino

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...