segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Anthrax - For All Kings (2016)



O Thrash Metal talvez seja o estilo que mais sofreu mudanças e mais se reinventou com o passar dos anos. Se tornou grande na década de 80 e sofreu inúmeras metamorfoses, viu seus maiores representantes se tornarem sucesso estrondoso de mídia e com isso, mudarem sua musicalidade característica. Sofreu com a chegada dos anos 90 e foi até mesmo dado como morto.

Como uma fênix ressurgiu das cinzas no início do novo século e mais recentemente, assiste uma nova geração extremamente talentosa surgir e se mesclar com os ícones e pioneiros do estilo, caracterizando assim, uma era absurdamente frutífera e repleta de excepcionais lançamentos.

O Anthrax é uma das bandas que vivenciou cada uma das etapas relatadas e contra tudo e todos, se manteve na ativa. Viveu o seu auge nos 80's, ditou tendências e assim como muitos, se distanciou de sua identidade. Passou por períodos turbulentos, porém assim como o próprio Thrash, renasceu das cinzas.

O lançamento de "Worship Music" em 2011, trouxe o carismático Joey Belladonna de volta aos vocais do grupo e com isso, a expectativa de que os bons tempos voltariam. Com a chegada de "For All Kings", esse prognóstico se confirma e o que podemos escutar é uma coleção de composições repletas de inspiração e que em muitos momentos, nos remetem a fase clássica da banda.


Obviamente não se deve fazer a audição esperando algo como "Spreading The Desease" ou "Among The Living". Os tempos são outros, os músicos estão mais maduros e mudaram algumas de suas características, porém é certo que faixas como "You Gotta Believe", "For All Kings", "Evil Twin", "This Battle Choose Us" e "Zero Tolerance", trazem o Anthrax Thrash Metal de volta.

Ainda apostam em faixas mais cadenciadas e melodiosas, que estrategicamente, estão intercaladas com as mais rápidas. "Monster At The End", "Suzerain", "Defend Avenge" e "All Of Them Thieves", são a prova definitiva de que o Anthrax conseguiu evoluir, inovar, soar mais melódico e mesmo assim, não perder as suas principais marcas.

Jonathan Donais substituiu muito bem Rob Caggiano nas guitarras e deu um toque melodioso que caiu muito bem aos solos e linhas da banda. Joey Belladonna ainda canta demais e é capaz de fazer o que a grande maioria dos vocalistas de Thrash não se aventuram tentar. Charlie Benante e Frank Bello formam talvez a cozinha mais funcional da atualidade e Scott Ian, esse dispensa comentários, um verdadeiro monstro! Com uma pegada ímpar e riffs sensacionais, é a alma da banda.

A arte da capa ficou mais uma vez sob a responsabilidade do renomado desenhista Alex Ross, dono de todas as capas desde "We've Como For You All" (2003) e é sem dúvidas, uma das mais belas de toda a carreira do grupo.

"For All Kings" é de longe, o melhor álbum do Anthrax desde "Persistance Of Time" (1990) e deve agradar aos fãs de todas as fases. Um disco com musicalidade forte e que soa atual, ao mesmo tempo em que busca por elementos contidos em trabalhos clássicos. Consolida o ótimo momento da banda e sem dúvidas, deve figurar entre os melhores do estilo em 2016.

Integrantes:

Joey Belladonna (Vocal)
Scott Ian (Guitarra)
Jonathan Donais (Guitarra)
Charlie Benante (Bateria)
Frank Bello (baixo)

Faixas:

01. You Gotta Believe
02. Monster At The End
03. For All Kings
04. Breathing Lightning
05. Suzerain
06. Evil Twin
07. Blood Eagle Wings
08. Defend/Avenge
09. All Of Them Thieves
10. This Battle Chose Us
11. Zero Tolerance

Escrito por Fabio Reis