quarta-feira, 5 de agosto de 2015

O Thrash Metal pelo mundo - HOLANDA

Sempre que falamos em Thrash Metal, quase que de forma automática vem em nossa cabeça bandas como Tankard, Kreator, Megadeth, Overkil, Deathrow, Destruction, Slayer, Exodus, enfim, a Alemanha e os EUA são quase que unanimidade dentro deste estilo, os grandes medalhões do estilo são desses países, isso não sou eu que afirmo, mas a história.

Porém, o Thrash Metal não é algo exclusivo a estes países, muita coisa de grande relevância foi produzida fora desses grandes eixos, e se avançarmos um pouco mais adentro na Europa, chegamos na Holanda, onde podemos destacar esses quatro nomes abaixo, e suas obras as quais considero de maior relevância:


PESTILENCE – “Malleus Maleficarum” (1986)


Apesar de ser uma banda que acabou lançando mais trabalhos seguindo uma linha mais orientada ao Death Metal, considero a fase Thrash Metal deles a mais frutífera em sua carreira, e “Malleus Maleficarum”, o álbum de estreia da banda, é um verdadeiro petardo do estilo, com suas batidas insanas a velocidade da luz, guitarras ultra cortantes e os vocais únicos de Martin Van Drunen. Uma verdadeira “porrada na orelha”, muito mais brutal do que diversos álbuns que fizeram sucesso na época.


MANDATOR – “Initial Velocity” (1987)


Formado sob o nome de Mysto Dysto no ano de 1983 e lançando em 1986 seu debut “The Rules Have Been Disturbed”, a banda resolve mudar seu nome para MANDATOR em 1987 e, no mesmo ano, lança o seu melhor trabalho, o primeiro com sob o novo nome, “Initial Velocity”.
“Initial Velocity” é uma aula de como se fazer Speed / Thrash Metal, com músicas muito variadas, ora cadenciadas ora mais velozes, excelentes solos de guitarra e uma grande interpretação do vocalista Peter Meijering, que alterna muito bem levadas agressivas e melódicas. 
A banda ainda lançaria mais um full lenght e uma demo: “Perfect Progeny” (1989), onde investem numa sonoridade muito mais agressiva do que a usada no álbum anterior, um Thrash mais intrincado, e a demo “Strangled”, onde soam totalmente descaracterizados e nitidamente tentam embarcar na onda de som pesado recheado de Groove.


VULTURE – “Fatal Games” (1990)


Assim como o Mandator, o Vulture faz uma excelente mescla de Thrash com Speed Metal, porém soando mais pesados que seus conterrâneos, e o destaque absoluto da banda é o vocalista Rick Ritman, com suas incríveis variações em seu vocal, o cara canta grave, agudo, em alguns momentos me remetendo ao grande Russ Anderson do Forbidden.
Assim como muitas bandas que construíram sua carreiras no underground, o Vulture possui uma curta discografia, lançando apenas mais um álbum “Easier to Lie” em1992 e caindo desde então no limbo do Metal.


USURPER – “Divine Spiritual and Intellectual Development” (1990)


Formado no ano de 1985 sob o nome de Sepulchral Death e com uma orientação mais Death Metal, decidem no ano de 1987 mudar de nome e adotar uma nova sonoridade, passando a se chamar USURPER.
A banda possui apenas um álbum,” Divine Spiritual and Intellectual Development”, que apesar de soar pretensioso devido ao seu título, corresponde totalmente a expectativa criada pelo ouvinte antes de escuta-lo, trata-se de um Thrash Metal com uma sonoridade bem autoral, soando algumas vezes até um pouco rústico, talvez pelas origens Death Metal da banda (principalmente no que diz respeito ao vocal), porém brilhante. Recentemente, “Divine Spiritual and Intellectual Development” foi relançado numa luxuosa versão CD + DVD através do selo brasileiro Marquee Records, com um acabamento bem digno a grandeza desta obra.