quinta-feira, 26 de maio de 2016

Indicação: Sunburst - "Fragments of Creation" (2016)


A Grécia vem sendo o ponto de partida de muitas bandas fodas ultimamente. Sunburst, o filho Prog/Power de Gus Drax e Vasilis Georgiou (mais conhecido como “o novo Roy Khan”) é uma delas, juntando um pouco da melosidade encontrada nas bandas de Power Metal com uma abordagem mais sombria e pesada. Fragments of Creation, primeiro álbum dos gregos, se apoia forte nas habilidades de Drax com a guitarra, motivo pelo qual já é consideravelmente conhecido na cena, seja por seu bom trabalho com o Black Fate, Suicidal Angels ou ainda tocando ao vivo e agora contribuindo de vez com o Paradox em estúdio. Vasilis, tão conhecido quanto, se tornou em meio que um prêmio de consolação para aqueles fãs desesperados de Roy Khan que ainda lutam para aceitar sua saída do Kamelot e do Heavy Metal em geral, mas novamente prova que as comparações não são de brincadeira. 

Basicamente feito de faixas com passagens grudentas repletas de letras pessoais e um tanto emotivas, o álbum também entrega solos criativos e riffs recheados de peso, com uma boa dose de teclados e produção cristalina. Por vezes, a pegada mais densa nas guitarras lembra o que Jeff Loomis costumava fazer no Nevermore, especialmente em faixas como a que abre o álbum, “Out of the World” e “Reincarnation”. Podemos notar também em pequenos trechos semelhanças que podem ter sido inspiradas pelas músicas mais antigas do Evergrey, com “End of the World” sendo um bom exemplo. Aliás, Drax consegue juntar várias técnicas diferentes às suas próprias e criar linhas monstruosas. Há também seções menos ortodoxas como “Remedy of My Heart” e performances mais agressivas como em “Break the Core”. Minha reclamação principal aqui é que a cozinha foi colocada em pano de fundo na mixagem do trabalho, claramente para poder dar holofotes a Vasilis e Drax, o que é aceitável, mas meio escroto também, porque o baixo e bateria dão um suporte digno no curso do play. Ainda, Bob Katsionis (Firewind) empresta seus teclados ao trabalho, adicionando uma boa atmosfera.

De músicas nervosas à passagens lindas como “Forevermore”, o monstro que é a instrumental “Beyond the Darkest Sun”, e até uma balada animal em “Lullaby” – que normalmente eu odeio – Fragments of Creation é um alento aos ouvidos. As viúvas de Roy Khan vão se deliciar com as técnicas vocais e alcance inacreditáveis de Vasilis Georgiou, entusiastas de virtuosos das guitarras vão encontrar santuário com Gus Drax e até aqueles que gostam de uma linha mais moderna adotada por essas novas bandas de Prog/Power Metal vão encontrar algo de agrado aqui. Isso é o que acontece quando músicos altamente qualificados em seu auge criativo juntam forças e colocam seus corações e alma num trabalho. Absolutamente mandatório pra fãs de Prog/Power Metal em geral e forte candidato ao meu top 10 de 2016.




Integrantes:

Vasilis Georgiou (vocal)
Gus Drax (guitarra)
Kostas Milonas (bateria)
Nick Grey (baixo)


Faixas:

 1. Out of the World
 2. Dementia
 3. Symbol of Life
 4. Reincarnation
 5. Lullaby
 6. End of the Game
 7. Beyond the Darkest Sun
 8. Forevermore
 9. Break the Core
10. Remedy of my Heart

por Bruno Medeiros


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...